Palestra, que marca do Dia Mundial do AVC, será realizada no auditório, com transmissão online para comunidade em geral

Todo ano, mais de 100 mil brasileiros são acometidos por um AVC (Acidente Vascular Cerebral), segundo dados do Ministério da Saúde. A alta taxa sinaliza a necessidade de qualificar ainda mais os profissionais da saúde para prestar o devido atendimento. Por isso, o Hospital Estadual do Centro-Norte Goiano (HCN), em Uruaçu, realiza nesta sexta-feira (28/10), às 14h, em seu auditório, um evento de conscientização e capacitação sobre a doença. A palestra será destinada aos profissionais da área, com transmissão online e aberta à comunidade em geral, marcando assim o Dia Mundial do AVC (29/10).

Segundo a neurologista e responsável técnica da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HCN, Dra. Júlia Carolina da Silva, os problemas nos vasos sanguíneos do cérebro não precisam estar diretamente ligados ao órgão. “Fatores como o uso de cigarro, diabetes, álcool e pressão alta são situações que, se controladas, diminuem o risco de uma pessoa vir a ter um AVC”, alerta ela.

Existem tipos diferentes de AVC, o isquêmico e o hemorrágico. No primeiro caso, ocorre a obstrução de algum vaso e a área do cérebro relacionada a ele perde a função. Já no segundo, há um sangramento cerebral por ruptura de um vaso. “É costume dizer que o corpo sempre cobra as contas. E às vezes ele não dá conta. Por isso, uma das consequências pode ser um AVC”, afirma a médica neurologista.

AVC x Qualidade de Vida

Conhecida popularmente como derrame, a doença ocorre devido a uma alteração do fluxo sanguíneo no cérebro, matando as células nervosas da região atingida. O AVC não possui cura, restando apenas prevenção e tratamento, por isso a importância do diagnóstico precoce do tipo da doença ainda na fase aguda. Dessa maneira, o melhor procedimento de recuperação poderá ser aplicado ao paciente.

O AVC é considerado uma doença grave, pois pode alterar o corpo do indivíduo, causando sintomas neurológicos após o derrame, como fraqueza em um lado do corpo, alteração motora e da fala, desvio da boca, perda visual e tontura, o que implica diretamente na qualidade de vida.

Uma das maneiras de prevenir um derrame é se exercitar e manter os exames clínicos em dia. A neurologista afirma que a prática constante de atividades físicas, quando associada aos exames de rotina com um clínico geral, pode prevenir e até garantir um tratamento mais eficaz para casos em que há suspeita de um AVC. “E é muito importante levar uma pessoa que pode estar tendo um derrame para uma Unidade de Saúde o mais rápido possível”, orienta Dra. Júlia Silva.

Esses e outros aspectos sobre a doença serão abordados no evento online “Fluxo de atendimento de AVC Hiperagudo em Janela de Trombólise”, com transmissão pelo link https://bit.ly/3W2gPM2, às 14h, desta sexta-feira (28/10).

Participe! Minutos podem salvar vidas!

Serviço:

Palestra: Fluxo de atendimento de AVC Hiperagudo em Janela de Trombólise

Quando: Sexta-feira (28/10)

Horário: 14h

Público-alvo: Comunidade da área da saúde e interessados

Transmissão: Por meio do link https://bit.ly/3W2gPM2

Assessoria de Comunicação

Ana Luiza Tanno

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content